Título de Cidadão Osasquense ao fotógrafo Rômulo Fasanaro – Projeto de Decreto Legislativo 26/2008


Câmara Municipal de Osasco


PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N° 26/ 2008.

CÂMARA MUNICIPAL DE OSASCO

PROTOCOLO N° 26

Data: 26/06/08

Comunicações administrativas

                                                            “Dispõe sobre a concessão de

                                                             Título de Cidadão Osasquense

                                                             ao Sr. Rômulo Fasanaro”

A Câmara Municipal de Osasco aprova:

             Art. 1°. Fica concedido o Título de Cidadão Osasquense ao Sr. Rômulo Fasanaro pelos serviços prestados a comunidade osasquense.

             Art. 2°. A honraria que trata o art.1°, será entregue a Sessão Solene a ser convocada especialmente para esse fim.

             Art. 3°. As despesas decorrentes com a execução do presente Decreto Legislativo correrão por conta de dotações próprias constantes no orçamento vigente.

            Art.4°. Este Decreto Legislativo entra em vigor na data de sua publicação.

Sala das Sessões Tiradentes, 26 de junho de 2.008.

BOGNAR
-vereador-


 

JUSTIFICATIVA

RÔMULO FASANARO

Rômulo Fasanaro nasceu em Recife, Pernambuco, no dia 05 de fevereiro de 1936. Filho de João Fasanaro e Dona Nena, nome carinhoso de Alípia de Souza Fasanaro, e éirmão de Paulo, Mércia e Risomar, esta última poetisa e escritora.

Como millitar, o então 2° Sargento João Fasanaro era constantemente transferido para diversas localidades, ente as quais também Osasco, onde servira no 4° RI de Quitaûna durante a Revolução Constitucionalista, em 1932.

Ao ser notificado novamente de sua transferência agora de Recife para Santo Ângelo, Rio Grande do Sul, viu surgir a grande oportunidade de sua vida. Conversando com um tenente amigo que servia no 4° RI de Quitaûna, conseguiu que o mesmo aceitasse fazer permuta.

Assim, em 16 de maio de 1950, o pai e toda a família de Rômulo vieram morar em Osasco. O então 14° Sub-Distrito Osasco, que depois ajudaria a  transformar  em cidade, já que estava no coração de João Fasanaro desde 1931, quando aqui estivera pela primeira vez.

João Fasanaro viajou de Recife até o Porto de Santos, durante 16 dias. Trouxe todos seus pertences, toda a família e um grande amigo, um cãozinho de nome “Pulique”, que viveu longos 19 anos. De Santos até Osasco vieram de trem, fixando residência em Quitaûna, perto do 4° RI.

Em 1952 mudaram-se para uma chácara na rua “das Cabras”, atual rua São Maurício, esquina com a Av. Hildebrando de Lima, no Km 18. Neste local, a família residiu e viveu feliz durante longos 22 anos.

Por seu espírito cívico e buscando participação na comunidade, João Fasanaro cedeu parte do terreno de sua chácara, para a construção de uma escolinha, onde foi instalado o “Primeiro Grupo Escolar do Km 18”. Rômulo, seus irmão e as demais crianças que moravam no bairro naquela época, passaram a estudar na escolinha. Era um galpão de madeira, com apenas 6 salas.

Mais tarde, a escolinha cresceu e foi transferida para um prédio moderno, construído na Av. Hidelbrando de Lima esquina com a Rua Aristides Belini. Prevendo a importância desta escola para Osasco como um todo, a mesma foi oficializada em homenagem ao grande e dedicado mestre, o ilustre “Professor João Larizatti”.

Depois dos primeiros anos na “escolinha”, suas irmãs Mércia e Risomar, foram estudar no Colégio Nossa Senhora da Misericórdia, onde se formaram no magistério, seguindo a mesmo vocação de sua mãe, Dona Nena, que também era professora.

Rômulo e seu irmão Paulo, foram estudar no CEART. Anos depois, o CEART passou a ser conhecido como GENEART, freqüentando pela elite de Osasco, pois era conhecido um dos melhores colégios de São Paulo. Em 1960, Rômulo foi eleito presidente do Grêmio Estudantil do CENEART.

Na sequência, Rômulo e Paulo foram estudar química industrial, no colégio Osvaldo Cruz.

Já fixado em Osasco, João Fasanaro com os filhos estudando, já integrados ao ambiente e para evitar novas transferências que acabariam desestruturando a vida estudantil de seus filhos, após 30 anos de serviço prestados ao exército, decidiu passar para a reserva.

Embora Rômulo tenha formado em química industrial, descobriu que seu verdadeiro talento e vocação estavam voltados para a fotografia. Decidiu que seria fotografo, optando então, por esta profissão que lhe trouxe muitas realizações. Dedicou-se a ela, com muito amor e carinho. Aflorou sua sensibilidade, criatividade e imaginação, tornado-se um excelente profissional. Registrou fatos, eventos, momentos históricos. Suas fotos são registros que ficarão para outras gerações.

Em 1967, foi convidado pelo então Prefeito Guaçu Piteri para serassessor de Imprensa da Prefeitura. Por ser um profissional dedicado e competente, em 1974, foi também para a assessoria de imprensa da secretaria Estadual do Meio Ambiente tendo sido convidado pelo p´roprio governador da época, Dr. Paulo Egydio Martins. Em inúmeras ocasiões acompanhou também o governador, registrando suas viagens por centenas de cidades do Estado de São Paulo.

Participou do projeto para a construção do Parque Ecológico do Tietê, fotografando de helicóptero o rio Tietê, desde sua nascente em Salesópolis até a represa de Pirapora. Este projeto durou três meses, num trabalho de 8 horas diárias.

Com espírito criativo, visão além do horizonte e coração voltado ao sonho da emancipação, patriótico, juntou-se a André Menk, Dr. Reinaldo, Nelson da Vanguarda, professora Helena Pignatari, Gilberto Port, José Antônio Antiório, Ari Gujedian, Arthur Manuchakian, Gleidimir Batiston, Massimo Pansa, Emílio Pansa, Pedro Leme, Vitor, Edmundo Burjato e muitos outros na luta em favor da emancipação de Osasco. Todos esses nomes estão inseridos na História de Osasco.

Em 21 de dezembro de 1958, dia do plebiscito, o SIM foi vitorioso. Entretanto, para que Osasco pudesse emancipar-se, houve ainda uma longa disputa judicial, até que em 1962, Osasco foi declarado município, tendo Hirant Sanazar como primeiro prefeito.

Em 27 de outubro de 1962, com 26 anos, casa-se com Odila Rosa Gonçalves, na Igreja Santo Antônio, de Osasco. Tiveram cinco filhos: Rômulo filho, que a exemplo do pai, também é fotografo, Luciano, Rodrigo, Francine e Ricardo. Tem dois netos: João Pedro de 12 anos, filho de Rômulo Filho e Shirley, e Klaus Kurt, de 1 ano, filho de Francine e Klaus.

Certa vez, juntou-se um escritor inglês e a um amigo de infância, Emílio Pansa, e viajaram de barco pelo Brasil Central, descendo o Rio Araguaia, remando mais de 1200 quilômetros. Durante essa aventura, Rômulo e seus amigos, visitaram várias tribos indígenas e enfrentaram várias dificuldades, chegando até a passar fome.

Ao longo de sua vida, Rômulo Fasanaro conseguiu reunir um vasto material que constitui hoje, um dos maiores acervos fotográficos da cidade de Osasco, contendo fotos do passado até os dias atuais, tendo contado para isso, com a confiança do Monsenhor Camilo Ferrarini, religioso muito amado e querido pelos osasquenses de então, que lhe autorizou a reprodução de algumas fotos que registram a história de Osasco quando aqui era apenas um bairro.

Por sua trajetória de vida e pelos relevantes serviços prestados à comunidade Osasquense, o Sr. Rômulo Fasanaro merece o reconhecimento, a gratidão, e, é claro, a homenagem do Povo de Osasco, através de seu órgão mais democrático e representativo que é a Câmara Municipal.

Sala das Sessões Tiradentes, 26 de junho de 2008.

BOGNAR
-vereador-


Fotógrafo Rômulo Fasanaro recebe
o Título de Cidadão Osasquense

Da Assessoria de Comunicação

O fotógrafo Rômulo Fasanaro foi homenageado em sessão solene de autoria do vereador Sebastião Bognar, realizada na noite de quinta-feira (20/5), no plenário da Câmara de Osasco.

Fasanaro nasceu em Recife/PE, em fevereiro de 1936. Seu pai, João Fasanaro, era militar e foi transferido para o Quartel de Quitaúna, na então Vila Osasco, em 1950. E assim, a família Fasanaro chegou à Osasco e instalou-se no próximo ao quartel, em Quitaúna.

No fim da adolescência, embora tenha se formado como químico industrial, Fasanaro descobriu que seu verdadeiro talento e vocação estavam voltados à fotografia. Dedicou-se à nova profissão e aflorou sua sensibilidade e criatividade, tornando-se um excelente profissional.

Em 1967, foi convidado pelo prefeito Guaçu Piteri para trabalhar em sua assessoria de imprensa, cargo que abriu as portas para outros trabalhos no ramo da admnistração pública.

Rômulo Fasanaro também é um dos responsáveis pela emancipação de Osasco, já que fizera parte do grupo que queria promover a Vl. Osasco a uma cidade.

Ao longo de sua vida, Fasanaro reuniu um vasto arquivo com fotografias mostrando fatos, eventos e momentos históricos de Osasco. Sua fotos se tornaram preciosos registros que ficarão para as próximas gerações.

Fotos

O homenageado Rômulo Fasanaro Mesa dos trabalhos
Vereador Sebastião Bognar Deputado Celso Giglio
Chiquinho Teruel – Assoc. Comercial de Osasco Vereador André Sacco
Deputado Francisco Rossi Sra. Odila Gonçalves, esposa do homenageado
Sra. Mércia Fasanaro – Irmã do homenageado Amigos e familiares do homenageado
Entrega da homenagem Rômulo Fasanaro faz seus agradecimentos na tribuna
Dupla de cantoras encerra o evento

 Título de Cidadão Osasquense
concedido ao fotógrafo Rômulo Fasanaro

 

Acesse o Link e veja o video – http://www.ar3g.com/camara/sessoes/2009/20.05.10.solene.html