Moção de Congratulações a Thiago Tavares – Moção 22/2012


Câmara Municipal de Osasco


MOÇÃO 22/2012

Senhor Presidente,

Senhores Vereadores,

Apresento à Mesa, observadas as formalidades regimentais, MOÇÃO DE CONGRATULAÇÕES a THIAGO TAVARES, regente assistente da Orquestra Experimental de Repertório, por sua primeira apresentação, no Teatro Municipal de São Paulo, no último dia 25 de março.


 

JUSTIFICATIVA

No dia 25 de março, no Teatro Municipal de São Paulo, o compositor alemão Beethoven é homenageado em concerto dedicado a três obras fundamentais, sob a batuta do maestro Thiago Tavares, regente assistente de Jamil Maluf, e com a participação especial do solista CAIO PAGANO.

Na primeira parte, a orquestra executou a Abertura Leonora 3, única ópera composta por Beethoven em três aberturas.

Na segunda parte, a Quinta Sinfonia uma das mais geniais obras do gênero sinfônico.

O Terceiro Concerto para Piano e Orquestra encerrou a primeira parte, tendo como solista convidado o renomado pianista Caio Pagano.

Composto em 1800, este concerto define claramente um novo caminho criativo de Beethoven. A primeira apresentação de Thiago Tavares, foi uma manhã muito especial no Teatro Municipal de São Paulo.

Sala de Sessões Tiradentes, 17 de abril de 2012.

BOGNAR
-vereador-


ORQUESTRA EXPERIMENTAL DE REPERTÓRIO

A Orquestra Experimental de Repertório foi criada em 1990 a partir de um projeto elaborado pelo seu regente titular, o maestro Jamil Maluf, e oficializada pela Lei nº 11.227 de 1992.

Verdadeiro centro de cultura e treinamento da música orquestral, já passaram nesses vinte anos mais de seiscentos jovens talentos, que dela partiram para ocupar postos em orquestras, no Brasil e no exterior. A orquestra desenvolve importante programa de execução de novas obras, além de extensa abordagem do repertório tradicional.

O Concurso Jovens Solistas, realizado anualmente, é uma iniciativa que propicia ao instrumentista Pré-Profissional da Orquestra a oportunidade de mostrar seu trabalho individual, sendo o vencedor convidado a participar, como solista, de concerto da temporada oficial da orquestra.

Ao longo de seus vinte anos de existência, a Orquestra Experimental de Repertório vem desenvolvendo um trabalho que, pela qualidade e criatividade, se tornou referência, dando decisiva contribuição para a formação de várias gerações de instrumentistas do mais alto gabarito. Sua instigante programação ocupa hoje um importantíssimo lugar no cenário musical brasileiro.

Tem por objetivos a formação de profissionais da mais alta qualidade, a integração ao instrumental sinfônico que representem uma autêntica conquista da nova tecnologia, com reflexos estimulantes à criação musical, como os sintetizadores, por exemplo, e a difusão de um repertório abrangente e diversificado que mostre o extenso alcance da arte sinfônica de qualidade.

Suas várias séries de concertos com grandes nomes da música erudita nacional e internacional, bem como estrelas da MPB, e suas montagens de óperas, balés e gravações para TV, compõem uma programação que vem conquistando o público e a crítica. Em 1997 recebeu da Comissão de Música da Secretaria de Estado da Cultura o Prêmio Carlos Gomes, como destaque de música erudita.


A ORQUESTRA

Regente Titular: Jamil Maluf;

Regente Assistente: Thiago Tavares;

Primeiros Violinos: Cláudio Micheletti (spalla), Ana Carolina R. Guimarães, Ariel Sanches, Danilo Ferreira, Débora Ott Falcão, Gabriela da Silva Fogo, Luiz Guilherme Nóbrega, Lucas Oliveira da Silva, Marco Aurélio Ferri, Renan Barbosa Rodrigues, Renato Pereira, Rodolfo Guilherme da Silva, Wanessa Dourado, Wellington de Oliveira, Wellington R. Guimarães e Willian Gizzi R. Araújo;

Segundos Violinos: Luis Fernando Dutra (monitor), Alexandre do Carmo Britto, Caik Rodrigues, Danilo Alves, Diogo Amorim Silva, Douglas Araújo, Evaldo Alves, Henrique Franquim, Jessé Xavier Reis, Jonas Alves, Juliana Garcia, Matheus Mendoza Baião, Ramon Rodrigues de Andrade, Rômulo Moreira, Sara Raissa de Moraes e Thaís de Souza Morais;

Violas: Estela Ortiz (monitora), Géssica Sant Ana, Gustavo Assumpção, Jennifer Cardoso, Joel Alves, Mauro Koiti Shimada, Pedro de Camargo Florence, Rafael Martinez, Rodrigo Ramos e Thiago Neres;

Violoncelos: Júlio Cerezo Ortiz (monitor), Douglas Pereira, Elton Araújo, Jonatas Pereira, Leandro Tenório, Luiz Sena Fonseca, Patrícia Resende Vanuci, Rafael de Caboclo, Rodrigo Prado e Ygor Galindo Ghensev;

Contrabaixos: Alexandr Iurcik (monitor), Adriano Costa Chaves, Daniel Camargo, Fernando Tosta, Gustavo Quintino, Haran Magalhães Rodrigues, Júlio Nogueira e Marcos Paulo Magni;

Flautas: Marcos Kiehl (monitor), Felipe Mancz, Henrique Amado e Júlia Donley;

Oboés: Rodolfo Meira Hatakeyama (1º Oboé), Andréa Silvério, Gabriel Paes Marcaccini (em 25 de março), Marcos Vicenssuto (em 11 de março) e Rafael Felipe;

Clarinetes: Alexandre F. Travassos (monitor), Evandro Alves Pinheiro Machado, Gleyton Ladislau e Paula Pires;

Fagotes: José Eduardo Flores (monitor), Ana Paula Adorro, Filipe Castro e Matheus Amaral;

Trompas: Weslei de Lima (monitor), Álvaro Santos Braga, Edson R. Nascimento, Eric Gomes da Silva, Gerson Pierotti e José Luis de Andrade Júnior;

Trompetes: Luciano Melo (monitor), Mauro Stahl Júnior, Michel de Oliveira Machado e Roger Brito;

Trombones: João Paulo Moreira (monitor), André Machado, Arthur da Silva Rita, Hélio Góes e Mauricio Lundgren;

Tuba: Sérgio Teixeira (monitor);

Piano: Érika Ribeiro (monitora);

Harpa: Soledad Yaya;

Percussão: Richard Fraser (monitor), Arturo Uribe Portugal, Mônica Rocio Navas Loma, Rosângela Rhafaelle e Thiago Lamattina;

Contrafagote: Nara Martins (convidada);

Coordenador: Ronaldo Ribeiro Mariano;

Inspetor: Alexandre Greganyck;

Instrutor Cultural: Maria Teresa Galani;

Arquivistas: Maria Cláudia Ribeiro e Bruno Lacerda;

Montadores: Paulo Ricardo de Almeida e Márcio Cavalcante Bessa;

Apoio Administrativo: Helena Bispo dos Anjos;

Equipe de Cenotécnica do TMSP – Coordenador: Lauro Lemes;

Chefe da Cenotécnica: Aníbal Marques (Pelé);

Chefe de Palco: Sidnei Garcia da Fonseca;

Técnicos de Palco: Antonio do Nascimento, Edson Astolfi, Jesus Armando Borges, João Batista Bernardino da Cruz, Jorge Rodrigues do Espírito Santo, José Muniz Ribeiro, Luis Carlos Leão, Manoel Gomes dos Santos, Wagner Baptista Cardoso e Wilson José Luiz;

Contrarregras: Diogo Vianna e Marcelo Bessa;

Chefe de Sonoplastia: Sérgio Luis Ferreira;

Operador de Som: Kleber Marques Vaz;

Chefe de Iluminação: Roberto Fernandes de Paiva;

Iluminadores: Anselmo Plaza, Eduardo Vieira de Souza, Rafael Leonid Plaza e Yuri Melo;

Coordenação de Programação Artística do TMSP: João Malatian.


THIAGO TAVARES

A família do regente Thiago Tavares está em Osasco desde 1.921. Esta Família, participou e colaborou, portanto, nesses 91 anos, do desenvolvimento do então bairro de Osasco, que em 1.962, conseguiu sua emancipação.

Possuidores de notável cultura, sempre estiveram ligados aos mais diversos campos das artes. Seu avô, Heitor Sinegaglia dedicou-se ao jornalismo e por anos a fio atuou na imprensa de Osasco. Sua mãe, Isabel Sinegaglia é formada em música. Foi a idealizadora e fundadora do Conservatório de Arte Musical de Osasco, onde Thiago iniciou sua vida na música e onde mais tarde, tornou-se professor da Instituição.

“Quando minha mãe tocava música popular, por exemplo, Tom Jobim, Chico Buarque, eu ia jogar bola, vídeo game, mas quando ela sentava pra tocar uma nota de Beethoven, eu largava o que estava fazendo e ia escutar ela tocar”, diz Thiago.

Thiago começou a ter aulas de piano com sua mãe já aos 3 anos de idade. Com 12, começou a estudar violão clássico e aos 17 anos foi para a faculdade e achou que ia ser violinista, mas no meio do curso, descobriu que gostava de regência. Passou a reger coros e fez curso de regência orquestral.

Quando iniciou sua faculdade de música, se apaixonou de vez pela profissão e pela regência. Para ser maestro concluiu o curso de regência na USP.

Regente assistente da Orquestra Experimental de Repertório, Thiago Tavares, está atualmente sob a orientação do maestro Jamil Maluf. Teve aulas de regência com a maestrina Ligia Amadio e é Bacharel em Música, com Habilitação em Regência, pela ECA-USP (2010), onde estudou Regência Coral com o professor doutor Marco Antonio da Silva Ramos, Regência Orquestral com o professor Aylton Escobar e Violão com o professor doutor Edelton Gloeden.

Atuou como regente e violonista nas edições do Festival Leo Brouwer (2008-2009). Participou do II Curso de Direccíon Orquestal do Camping Musical Bariloche (Argentina-2011) e como bolsista da Academia de Direccíon Coral y Educaccíon de Las Palmas de Gran Canária (Espanha-2006), além de bolsista na classe de Regência Coral do Festival Música nas Montanhas (Poços de Caldas – MG) nos anos de 2004, 2005 e 2007.

Em 2002, concluiu o curso técnico em música pelo Conservatório Arte Musical de Osasco. Nesse período, teve a orientação do professor violonista João Luiz Resende Lopes.

Thiago foi aluno estagiário com bolsa trabalho da pró-reitoria de Cultura e Extensão no Comunicantus: Laboratório Coral da ECA-USP, trabalhando junto ao Coral da Terceira Idade da USP, Coral Escola Comunicantus e atuando como regente assistente do Coral da ECA-USP.

Seu orientador maestro Jamil Maluf, foi quem escolheu Thiago Tavares para assumir as funções de regente assistente. O trabalho do maestro, é reconhecido no exterior, tendo o mesmo permanecido durante 6 anos na Europa regendo várias orquestras. Por quatro vezes recebeu o prêmio de Melhor Regente de Orquestra pela APCA. De 2005 a 2009, foi diretor artístico do Teatro Municipal de São Paulo. É autor de vários projetos inovadores, dirigiu concertos, óperas e balés, nos quais sua marca de qualidade e poder de comunicação cultural são uma constante.

A estréia de Thiago Tavares no Teatro Municipal de São Paulo, contou ainda com a brilhante e emocionante apresentação do solista CAIO PAGANO, pianista brasileiro, reconhecido não só no Brasil, mas também no exterior. A imprensa internacional não mede elogios após cada apresentação de Caio Pagano.

Thiago Tavares faz do seu concerto uma obra prima da harmonia, construída sobre uma arquitetura equilibrada, admiravelmente proporcionada de lógica.

A música para Thiago é fundamental em sua vida. É sua essência. É uma ferramenta de comunicação em que no seu dia-a-dia transforma numa história sonora, um sentimento que transmite a cada nota.

Para ele, é naturalmente gratificante reger essa orquestra, composta de músicos que considera, a cada um, como profissional exemplar e de grande talento.

No último 25 de março, Osasco através da estréia do regente Thiago Tavares, também esteve no palco de Teatro Municipal de São Paulo.

Sala de Sessões Tiradentes, 17 de abril de 2012.

BOGNAR
-vereador-