Placas denominativas ” Viaduto Dr. Reynaldo de Oliveira – Patrono da Emancipação” – Indicação 6383/2011


        Câmara Municipal de Osasco      


             INDICAÇÃO   6383 /2011

Senhor Presidente,

Senhores Vereadores,

Considerando que o viaduto metálico é denominado oficialmente “Viaduto Dr. Reynaldo de Oliveira”;

Considerando que o referido viaduto é uma referência de Osasco não só a região, mas para todo o Brasil;

Considerando que no próximo 19 de fevereiro, Osasco estará celebrando os 50 anos de emancipação político-administrativa;

Considerando o ideal e a luta de todos os emancipadores que merecem, sempre, a atenção e o reconhecimento das autoridades e do POVO DE OSASCO;

Indico à mesa, observadas as formalidades regimentais, seja enviado ofício ao senhor prefeito, no sentido de que seja providenciada com urgência, a instalação de placas denominativas com as seguintes informações:

Viaduto

Dr. Reynaldo de Oliveira

“Patrono da Emancipação”

Cinquentenário – 19 – fev – 2012

*Observar modelo anexo.

Sugerimos que as mesmas sejam instaladas, conforme fotos de 1 a 4, em tamanho aproximado de 1,60 x 1,00 com visibilidade para:

Av. dos Autonomistas sentido Vila Yara –foto 1;

Rua Aurora Soares Barbosa sentido centro – foto 2;

Av. dos Autonomistas, sentido Km 18 –foto 3;

Av. Maria Campos, sentido Av. Bussocaba – foto 4;

Justificativa anexo.

Sala de Sessões Tiradentes, 15 de dezembro de 2011.

BOGNAR
-vereador-


JUSTIFICATIVA

Reynaldo de Oliveira nasceu em 01 de janeiro de 1906, numa antiga fazenda da região norte de Osasco, próxima a cerâmica Hervy, que já no início do século passado produzia a todo vapor, tendo à frente o fundador de Osasco, Antonio Giuseppe Agú, em sociedade com o Barão Evariste Sensaud de Lavaud, pai de Dimitri Sensaud de Lavaud, que quatro anos depois realizaria o primeiro voo da América do Sul.

Foi registrado em 06 de janeiro, dia de Santo Reis, daí a origem do nome, Reynaldo. Seus pais, Francisco Caetano de Oliveira e Anna Carolina de Toledo, formaram uma família composta por mais seis irmãos. Um deles, José Bonifácio de Oliveira, infelizmente, faleceu ainda jovem. Um de seus sobrinhos recebeu o mesmo nome do tio, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, uma homenagem da família àquele que tinham perdido. Anos mais tarde viria a ser conhecido como Boni, da Globo.

Reynaldo sonhava ser engenheiro, mas por influência de seu irmão Orlando, que também era estudante de odontologia, formou-se pela Faculdade Mackenzie, naquela época chamada Escola Americana. Desta sua vocação para engenharia é que creditava sua imensa facilidade e capacidade em moldar as peças de ortodontia, usadas naquele tempo. Era um verdadeiro artista moldando cada peça, detalhe por detalhe, até que seu trabalho alcançasse nível de excelência. Dr. Reynaldo, como ficou carinhosamente conhecido, foi um dos primeiros dentistas desta região. Osasco era então, um distante bairro da capital paulista.

Em 1.942 casou-se com Edda Buzzone de Oliveira, professora de música e contadora por profissão. Edda era filha de tradicional família gaúcha, da cidade de Caxias do Sul, moça de finíssima educação. Reynaldo e Edda formaram uma linda e harmoniosa família. Seus filhos: REYNALDO, que faleceu aos 33 anos, em 1977, ROBERTO, que se casou com Ana Maria, (netos REYNALDO, ROBERTA E ANDREA), e tiveram também uma menina; MARISA, que é casada com MIGUEL CATAN, (mais dois netos; ANNA CAROLINA, que recebeu o mesmo nome de sua bisavó, e o caçula RICARDO).

Em 1947, foi fundada a “Sociedade Amigos de Osasco”, que tinha por objetivo, reivindicar melhorias para o bairro. As reuniões eram realizadas na residência do Sr. Carmine Fiorita que ficava na Rua André Rovai, em frente à Igreja do Bonfim. Dr. Reynaldo foi aclamado como primeiro presidente da Associação.

Era perceptiva a necessidade da separação do bairro, da cidade de São Paulo, e assim, foi iniciada a luta pela emancipação. Uniam-se, pela causa, mais de uma centena de idealistas, entre eles DIMAS TAVARES, CARMINE FIORITA, ANTONIO BRÁS, ANDRÉ MENK E ANALCASIS SIMÕES.

Começaram a se organizar. Participaram ativamente da luta pela autonomia, famílias tradicionais do Distrito: MENK, OLIVEIRA, PIGNATARI, SOARES DE FREITAS, ODÁLIA, FIORITA, TAVARES, SETTER, MACEDO DE OLIVEIRA, CAFUNDÓ DE MORAES, LAPAS, RAMOS, COLLINO, MARQUETTE, FIRMINO LOPES, SANAZAR, MARQUES RESENDE, MACEDO NOGUEIRA, CALAZANS, TONATO, ANTIORIO, DIAS, FREITAS, GALAFRIO, BATTISTON, MOURA LEITE, GODOY, PITERI, NEGRELLI, BATISTA, SOARES, FASANARO, MELLI, SOUZA OLIVA, SIMÕES, MATIAS BRAS, CORREIA, entre outras. Contavam também com a figura expressiva do Monsenhor CAMILO FERRARINI.

Queriam melhorias para os que aqui viviam e passaram a se reunir regularmente e conscientizar a população da necessidade da separação da capital, surgindo então, à campanha pela emancipação, que ao longo dos anos tornou-se a vitoriosa campanha do “SIM”.

Depois de anos e anos de lutas e muita persistência, finalmente, em 19 de fevereiro de 1962, com a posse do primeiro prefeito, Sr. Hirant Sanazar e dos 23 vereadores, que elegeram como presidente da Câmara, Sr. Orlando Calazans, Osasco conquistou definitivamente sua emancipação, iniciando sua caminhada para tornar-se uma das maiores e mais importantes cidades do Brasil.

Dr. Reynaldo de Oliveira faleceu em 22 de setembro de 1992. Na segunda administração do prefeito Francisco Rossi, o viaduto metálico, que é hoje um dos grandes símbolos da nossa cidade, passou a ser denominado “Viaduto Dr. Reynaldo de Oliveira”. É o reconhecimento da cidade a esse inesquecível osasquense e por extensão, à todos aqueles que se dedicaram  a causa da AUTONOMIA.

Sala de Sessões Tiradentes, 15 de dezembro de 2011.

BOGNAR
-vereador-